Diario

Like a rolling stone

Esse é um daqueles momentos em que a vida lança a bomba, se acomoda numa poltrona, acende um cigarro e avalia de que forma voce vai sair dessa, como pretende resolver as coisas. Perdemos uma renda equivalente a mais de mil reais mensais, temos algumas dividas à frente, e para todo lugar que eu olhe nessa casa, vejo coisas que não quero.

Não dá pra sair. Não dá pra ficar.
Parece uma daquelas “pegadinhas” mas não é. Vida real, pessoal.

Uma das primeiras coisas que fiz, quando recebi a noticia-bomba, foi colocar nossas receitas e despesas no papel e avaliar o tamanho da explosão. Teremos perdas consideraveis, alguns homens (e principalmente, mulheres!) sairão feridos, mas ainda há boas chances de vitória. A estratégia será outra, mudanças bem desconfortaveis virão, mas tenho um bom palpite, e acho que vai ser bom passar por essa experiência.

Minha primeira resolução foi cortar o cartão de crédito. Lembra da Rachel, de Friends? Nesse nível. Mas vi aquele poderoso e prateado cartão Platinum, com o pequeno adesivo da Ferreiro Rocher que colei de propósito para confundir a caixa do supermercado, e não conseguir deslizar a tesoura nele. Não dá! Ao invés disso, tranquei ele no bolso com zíper da minha carteira, e toda vez que pensar em usá-lo verei que não está mais tão amostra e disponível, e me lembrarei do meu comprometimento. E da nova situação. Além do mais, imprevistos acontecem, e devo treinar meu autocontrole de qualquer forma.

Talvez eu não esteja enxergando a gravidade do que realmente está acontecendo, mas é melhor assim. A vida às vezes puxa a gente mesmo, como uma onda, mas depois nos devolve com muito mais.

O fato é que passar por essa experiencia nada confortavel pode nos fazer mexer em muitas coisas. É uma boa oportunidade de recomeçar do zero, de pensar fora da caixa, de nos desafiar, e isso é bom. Estou feliz pela Aline que visualizo saindo dessa situação. Pode não ser a situação que escolhemos, mas com certeza é a que precisamos.

Diario

O parto da minha Pentax















Pentax k1000 – Kodak Ultramax 400

O que eu mais gostei nessas fotos, por incrível que pareça, foi que elas saíram.

Há alguns anos, resolvi limpar a minha Pentax K1000. Coloquei um vídeo no Youtube e fui desmontando, peça por peça, limpando cada uma delas. Comprei até álcool isopropílico e bombinha de ar. Consegui deixar a camera bem limpinha, só não consegui colocar todas as peças no lugar. Depois de muito lutar com a lente, e enfim conseguir fechar, vi que haviam dois parafusos em cima da mesa, e quando fui testar, a abertura não trocava mais.

Na época, fiquei tão decepcionada comigo que aposentei a camera.
Eu tinha dois rolos de filme para usar nas férias, um quadro de depressão analógica e uma lente ferrada.

Longos anos se passaram até que resolvi voltar a fotografar com filme. Levei todo equipamento analogico para o conserto e após três rolos queimados, muita meditação e persistência, essas fotos saíram. Quase um parto. Sem anestesia, mas no conforto do lar. Os três filmes queimados tinham fotos de férias e passeios, e foi horrível lidar com a perda. Fotografia analógica é pensada, sentida, e não é fácil aceitar que fotos feitas com carinho e paciência, ficarão para sempre presas dentro de um rolo queimado.

Entao resolvi fazer o novo teste em casa, bem simples e sem maiores expectativas.

E o milagre aconteceu.
E o mundo voltou a ficar colorido novamente! 🙂

As vezes, só é preciso persistência.

Em outras, também ajuda trocar de laboratório.

Diario

No caminho

Eu estive: Estudando e me preparando para colocar um grande sonho em prática. Tá, não é um graaande sonho, mas é um sonho, que tem sido engavetado e negligenciado por bastante tempo. O que torna a tarefa mais desafiadora.

Eu estou: Tentando ser mais gentil comigo, me dando o tempo necessário para me habituar à novos padrões, e procurando relembrar que tudo tem seu próprio tempo. Que o trabalho é de formiguinha, e que a fé e a entrega são importantes nesse processo.

Eu irei: Respirar mais fundo, acalmar a minha mente tagarela, organizar uma rotina que me dê mais suporte no dia a dia e começar um diário novo essa semana.

Estou lendo: A Grande Magia – Elizabeth Gilbert (♥)

A vida é: Amor! O grande desafio é relembrar que temos escolha, a cada segundo!

– E você? Como tem sido seu dias? 🙂